Search

Shogatsu, o Ano-Novo Japonês


O Planeta Terra está completando mais uma volta ao redor do Sol e junto com ele, todos os povos do mundo comemoram a chegada de mais um ano no Século XXI. E no Japão, como as pessoas recebem o Ano-Novo?


O Ano Novo Japonês (正月, Shōgatsu) é um festival anual com seus próprios costumes.


Desde 1873, a data é celebrada de acordo com o calendário gregoriano, em 1 de Janeiro de cada ano, Dia de Ano Novo (元日, Ganjitsu).


No entanto, alguns eventos tradicionais do ano novo japonês são parcialmente celebrados no primeiro dia do ano no calendário Tenpō moderno, o último calendário lunisolar oficial usado até 1872 no Japão.


Antes do período Meiji , a data do Ano-Novo japonês era baseada nas versões japonesas do calendário lunissolar (o último dos quais era o calendário Tenpō) e, antes do calendário Jōkyō, na versão chinesa.


No entanto, em 1873, cinco anos após a Restauração Meiji, o Japão adotou o calendário gregoriano e o dia 1º de janeiro tornou-se o Dia de Ano-Novo oficial e cultural no Japão.


Os japoneses comem uma seleção de pratos durante a celebração do Ano Novo, chamada osechi-ryōri, geralmente abreviado para osechi.


Muitos desses pratos são doces, azedos ou secos, portanto podem ser conservados sem refrigeração: as tradições culinárias datam de uma época antes de as casas terem refrigeradores e quando a maioria das lojas eram fechadas neste dia.


Existem muitas variações de osechi, e alguns alimentos consumidos em uma região não são consumidos em outros lugares (ou até são considerados desfavoráveis ​​ou proibidos) no dia de Ano Novo.


Outro prato popular é o ozōni, uma sopa com bolo de arroz mochi e outros ingredientes, que diferem em várias regiões do Japão. Também é muito comum comer macarrão de trigo sarraceno chamado toshikoshi soba na ōmisoka (véspera de ano novo).


Hoje, sashimis e sushis são frequentemente consumidos, assim como alimentos não japoneses. Para deixar o estômago sobrecarregado descansar, uma sopa de arroz de sete ervas (七草粥, nanakusa-gayu ) é preparada no dia 7 de janeiro, um dia conhecido como jinjitsu.


Outro costume é fazer e comer mochis, que são os famosos bolinhos de arroz. Também tem o arroz pegajoso cozido no vapor, chamado de mochigome, que é colocado em um recipiente de madeira usuê batido com água por uma pessoa enquanto outra pessoa bate nela com um grande macete de madeira.


Mochi é uma decoração de ano novo chamada kagami mochi, formada por dois bolos redondos de mochi com uma tangerina (daidai) colocada por cima. O nome daidai é considerado auspicioso, pois significa "várias gerações".



À meia-noite de 31 de dezembro, os templos budistas em todo o Japão tocam seus sinos um total de 108 vezes ( joyanokane 除夜の鐘) para simbolizar as 108 tentações terrenas na crença budista e livrar-se delas em relação aos sentidos e sentimento em cada cidadão japonês.


Uma grande atração é o sino da Noite Vigiada, em Tóquio. Uma crença tradicional japonesa é que o toque dos sinos pode livrar os pecados do ano que passa. O sino toca 107 vezes no dia 31 e uma vez depois da meia-noite.


O final de dezembro e o início de janeiro são os mais movimentados para os correios japoneses. Os japoneses têm o costume de enviar cartões postais de Ano Novo (年賀状, nengajō) para seus amigos e parentes, semelhante ao costume ocidental de enviar cartões de Natal.


O propósito original era dar notícias a amigos e parentes distantes de si mesmo e de sua família imediata - dizer àqueles que não se encontravam com frequência que estava vivo e bem.


O envio dessas saudações está programado para que cheguem em 1º de janeiro.


Os correios garantem a entrega nesse dia se os cartões forem marcados com a palavra nengajō e enviados entre meados de dezembro e alguns dias antes do final do ano. Para entregá-los no prazo, os correios costumam contratar alunos em regime de meio período.


É comum não enviar esses cartões postais quando houver um falecimento na família durante o ano.


Nesse caso, um familiar envia um simples cartão postal de luto (喪中葉書, mochū hagaki) para informar os amigos e parentes que não devem enviar cartões de Ano Novo, em respeito ao falecido.


As pessoas obtêm seu nengajō de várias fontes. Papelarias vendem cartões pré impressos. A maioria deles tem o signo do zodíaco chinês do Ano Novo como desenho, saudações convencionais ou ambos. O zodíaco chinês tem um ciclo de 12 anos. Cada ano é representado por um animal.


Os animais são, na ordem: Rato, Boi, Tigre, Coelho, Dragão, Cobra, Cavalo, Cabra, Macaco, Galo, Cachorro e Porco. No caso de 2022, este ano será o do Tigre.


Personagens famosos como Snoopy (2006) e outros personagens de desenhos animados como Mickey e Minnie Mouse (2008) foram especialmente populares em seus anos comemorados.


O endereçamento geralmente é feito à mão e é uma oportunidade para demonstrar a caligrafia de alguém. Os cartões postais podem ter espaços para que o remetente escreva uma mensagem pessoal.


Cartões em branco estão disponíveis, para que as pessoas possam escrever à mão ou desenhar os seus próprios.


Carimbos de borracha com mensagens convencionais e com o animal anual estão à venda em lojas de departamentos e outros pontos de venda, e muitas pessoas compram pincéis para saudações pessoais.


Dispositivos de impressão especiais são populares, especialmente entre as pessoas que praticam trabalhos manuais. O software de computador também permite que os artistas criem e imprimam seus próprios projetos.


Indivíduos muito sociáveis, que têm centenas de cartões para escrever, podem ir a gráficas e escolher entre uma grande variedade de cartões preparados com mensagens curtas, de modo que o remetente só precisa se dirigir a eles.


Apesar do avanço da tecnologia, o nengajō continua muito popular, embora a geração mais jovem quase não envie cartões. Eles preferem trocar saudações digitais por meio de telefones celulares e, nos últimos anos, a sociedade em geral passou a aceitar saudações digitais gradualmente.


Saudações convencionais incluem:


Kotoshi mo yoroshiku onegai shimasu (今年 も よろしく お願い します)

Akemashite omedetō gozaimasu ( あけまして おめでとうごございます)

Kinga Shinnen (謹 賀 新年)

Gashō (賀正)

Shoshun / Hatsuharu (初春)

Geishun (迎春)



Na abertura do ano, os japoneses têm um costume conhecido como otoshidama, onde parentes adultos dão dinheiro para as crianças.


É distribuído em pequenos envelopes decorados chamados pochibukuro , semelhantes ao Shūgi-bukuro ou hóngbāo chinês e ao handsel escocês.


No período Edo, grandes lojas e famílias ricas distribuíam uma pequena sacola de mochi e uma mandarim para espalhar a felicidade por todos os lados.


Atualmente a quantia dada depende da idade da criança, mas geralmente é a mesma se houver mais de uma criança para que ninguém se sinta desprezado. Não é incomum que valores superiores a ¥ 5000 sejam oferecidos.


As tradições de ano novo também fazem parte da poesia japonesa, incluindo haiku (poemas com 17 sílabas, em três versos de cinco, sete e cinco) e renga (poesia vinculada).


Todas as tradições acima seriam apropriadas para incluir no haikai como kigo ( palavras sazonais ).


Há também haicais que celebram muitos dos "primeiros" do ano novo, como o "primeiro sol" ( hatsuhi ) ou "primeiro nascer do sol", "primeira risada" (waraizome - começar o ano novo com um sorriso é considerado um bom sinal), e primeiro sonho (hatsuyume).


Como o tradicional ano novo é mais tarde do que a data atual, muitos deles mencionam o início da primavera.


Junto com o cartão postal do dia de Ano Novo, o haicai pode mencionar "primeira letra" ( hatsudayori - significando a primeira troca de cartas), "primeira caligrafia " (kakizome) e "primeira pincelada" (fude hajime).



Existem muitos programas criados como entretenimento de fim e começo de ano, e alguns são uma edição especial dos programas regulares. Por muitas décadas, foi costume assistir ao programa de TV Kōhaku Uta Gassen exibido na NHK na véspera de Ano Novo.


O show apresenta duas equipes, vermelhas e brancas, de artistas da música popular competindo entre si.

A final da Copa do Imperador, onde times dos quatro lugares do Japão participam. O confronto entre os dois vencedores das semifinais acontecem na tarde de 1º de janeiro desde 1969, apesar de que neste ano foi antecipada no dia 19 de dezembro.


O último evento foi vencido pelo Urawa Reds, de Saitama. Em português o evento é transmitido ao vivo pela Rádio Mirai.


Organizações de artes marciais mistas no Japão, como Pride FC e Dream realizaram eventos na véspera de Ano Novo, hoje quem segue a tradição é a Rizin Fighting Federation desde sua fundação em 2015.


A Nona Sinfonia de Beethoven , com coro que a acompanha, é tradicionalmente executada em todo o Japão durante a temporada de Ano Novo. Em dezembro de 2009, por exemplo, houve 55 apresentações da sinfonia por várias orquestras e corais importantes no Japão.


O Nono foi apresentado ao Japão durante a Primeira Guerra Mundial por prisioneiros alemães mantidos no campo de prisioneiros de guerra de Bandō.


Orquestras japonesas, notadamente a Orquestra Sinfônica NHK , começaram a executar a sinfonia em 1925.


Durante a Segunda Guerra Mundial , o governo imperial promoveu apresentações da sinfonia, incluindo na véspera de Ano Novo, para encorajar a fidelidade ao nacionalismo japonês.


Depois da guerra, orquestras e corais, passando por momentos econômicos difíceis durante a reconstrução do Japão, promoveram apresentações da peça por volta do Ano Novo devido à popularidade da música com o público.


Na década de 1960, as apresentações da sinfonia no Ano Novo tornaram-se mais difundidas, incluindo a participação de coros e orquestras locais, e estabeleceram a tradição que continua até hoje.


Há também um festival associado de Pequeno Ano Novo (小 正月, koshōgatsu) , tradicionalmente celebrando a primeira lua cheia do ano novo, no dia 15 do primeiro mês lunar (aproximadamente meados de fevereiro).


Isso agora às vezes é celebrado em 15 de janeiro, em vários aspectos. Os principais eventos de Koshōgatsu são rituais e práticas de oração por uma colheita abundante; mingau de arroz com azuki feijão (小豆粥, azukigayu ) é tradicionalmente consumidos na parte da manhã e está envolvido na cerimônia de mingau de arroz.


Além disso, as decorações de Ano Novo são retiradas em torno desta data, e alguns templos realizam eventos, como Tōrin-in, o que corresponde ao Festival das Lanternas Chinesas.

18 views